03-05-2018 - Sobre o eucalipto

As plantas floridas da Quinta de São Francisco

Apesar de existirem na Quinta de S. Francisco plantas floridas ao longo de todo o ano, não é surpresa nenhuma que o período de floração por excelência é a Primavera. Para uma grande parte das plantas a diminuição da duração das noites dá início a todo o processo de floração, para outras este processo é ativado pelo aumento cumulativo das temperaturas associadas a esta estação. Segue-se uma breve descrição textual e fotográfica de algumas das espécies que podem ser observadas a florir durante o início da Primavera, na Quinta de S. Francisco.

Legenda:
Flores de Eucalyptus tenuiramis (esquerda) e de Eucalyptus risdonii (direita)
O Eucalyptus tenuiramis é uma pequena árvore (até 25 m), com origem na Austrália (Tasmânia), onde é conhecida como silver peppermint, devido à cor prateada e cheiro a hortelã-pimenta que as folhas emanam, quando esmagadas. Por outro lado no nome latino tenuiramis refere-se aos ramos terminais, que são muito finos e pêndulos, lembrando o chorão (Salix babylonica). Na Quinta de S. Francisco podem ser encontrados vários exemplares desta espécie.
O Eucalyptus risdonii é uma pequena árvore (até 8 m), com origem na Austrália (Tasmânia), onde é conhecida como Risdon peppermint, devido ao seu local de proveniência e ao cheiro das suas folhas quando esmagadas. Este eucalipto encontra-se ameaçado no seu habitat natural, mas na Quinta de S. Francisco encontrou condições favoráveis ao seu desenvolvimento, podendo ser encontrados exemplares com 20 m de altura.

Legenda:
Flores de Eucalyptus polyanthemos(esquerda) e de Eucalyptus melliodora (direita)
O Eucalyptus polyanthemos é uma pequena árvore (até 20 m), com origem na Austrália (Nova Gales do Sul), onde é conhecida como red box. O restritivo específico polyanthemos refere-se às inflorescências, que possuem muitas flores. Na Quinta de S. Francisco podem ser encontrados vários exemplares notáveis, incluído um recordista com 50 m de altura.
O Eucalyptus melliodora é uma árvore (até 30 m), com origem na Austrália (Queensland, Nova Gales do Sul e Vitória), onde é conhecida como honey box, este nome, bem como o restritivo específico melliodora referem-se ao cheiro “doce”, quase mel, das suas flores. Podem ser encontrados vários exemplares desta espécie na Quinta de S. Francisco.

Legenda:
Botões e flores de Eucalyptus robusta (esquerda) e de Corymbia citriodora (direita)
O Eucalyptus robusta é uma árvore (até 30 m), com origem na Austrália (Queensland, Nova Gales do Sul), onde é conhecida como swamp mahogany, este nome deriva do tipo de habitat que coloniza, normalmente zonas pantanosas. Existem muito exemplares desta espécie espalhados pela Quinta de S. Francisco.
A Corymbia citriodora é uma árvore (até 50 m), com origem na Austrália (Queensland, Nova Gales do Sul), onde é conhecida como lemon-scented gum, este nome à semelhança do restritivo específico citriodora referem-se ao intenso cheiro a limão que as folhas emanam, quando esmagadas. Na Quinta de S. Francisco podem ser encontrados apenas dois exemplares desta espécie.

Legenda:
Flores de glicínia (Wisteria sinensis, esquerda) e de olaia (Cercis siliquastrum, direita)
Mas não são só os eucaliptos que estão em flor, muitas outras espécies como o carvalho-alvarinho (Quercus robur), a glicínia (Wisteria sinensis), a olaia (Cercis siliquastrum), a cerejeira (Prunus avium) e várias acácias (Acacia dealbata, A. longifolia, A. melanoxylon), podem ser observadas em floração na Quinta de S. Francisco.

Legenda:
Flores de cerejeira (Prunus avium, esquerda ) e flores masculinas de carvalho-alvarinho (Quercus robur, direita)
Se achou este artigo interessante, partilhe-o.